Banner Biblioteca VirtualBanner Movimento Internacional pelos Rios


Manuelzão Informa

MANUELZÃO INFORMA

Projeto Manuelzão/UFMG - 27 de outubro de 2011 - Número 267


.Destaque.

Da mesma forma, como não se pode relativizar direitos humanos, ou a liberdade de imprensa, não podemos relativizar a proteção ambiental, especialmente quando os principais impactados, as gerações futuras, sequer têm como se expressar

Trecho do artigo “Escolhas necessárias”, do engenheiro florestal Tasso Azevedo

 

.Resíduos Sólidos I.

Mais conscientes?

De acordo com a Associação Mineira de Supermercados (Amis), o consumo de sacolas plásticas caiu 97% em Belo Horizonte. Seis meses após a implantação da lei que proíbe o uso das sacolinhas tradicionais, o consumo diário, que era de 450 mil unidades, baixou para 15 mil sacolas compostáveis. Para o superintendente da Amis, Adilson Rodrigues, isso significa que as pessoas estão com mais consciência ecológica.  As sacolinhas compostáveis, saída para quem não quer deixar de usar sacolas, já arrecadou R$ 2,7 milhões. Mas, segundo Adilson, elas são vendidas a preço de custo e, portanto, não geram lucro. Fonte: AMDA

 

.Resíduos Sólidos II.

Apostando alto?

Aconteceu, nos dias 25 e 26, uma audiência pública para apresentar e recolher sugestões sobre a versão preliminar do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. O projeto tem metas ambiciosas, como extinguir os lixões no Brasil até 2014. Para cumprir a lei, prefeituras mineiras têm investido em coleta seletiva, construção de aterros sanitários e usinas de triagem. O Projeto Manuelzão acredita que apenas deve ser descartado o que não puder mais ser reciclado ou reutilizado. Fonte: Band

 

.Resíduos Sólidos III.

De olho no lixo  

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, até 2013, o Brasil terá um centro de monitoramento dos resíduos gerados no país. O Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos será a base de dados para a fiscalização do cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), contribuindo para a destinação monitorada dos resíduos. A PNRS, aprovada no ano passado, prevê o fechamento de todos os lixões até 2014, o envio do lixo para aterros sanitários ambientalmente adequados e a criação de cadeias de coleta e reciclagem de materiais. Fonte: Agência Brasil

 

.Legislação ambiental. 

De outro jeito 

Ambientalistas entrevistados pela Agência Brasil apóiam a iniciativa do governo de estudar possibilidades de fazer parcerias público-privadas (PPPs) e concessões de unidades de conservação federais. Eles esperam, no entanto, que o processo seja transparente e que a sociedade civil seja convidada a discutir as futuras PPPs. O ex-presidente do IBAMA, Eduardo Martins, acredita que a proposta é interessante porque permite à iniciativa privada participar desde os projetos básicos às formas de gestão e viabilidade econômica.  As primeiras concessões devem ser licitadas no primeiro semestre de 2012. Fonte: Agência Brasil

 

.Saneamento.

Pode melhorar

O IBGE lançou no último dia 20 o Atlas do Saneamento 2011, desenvolvido pelo Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais em parceria com a Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Fundação Getúlio Vargas. Segundo o estudo, o Brasil recolhe 60% do esgoto que produz, mas apenas 20% é tratado devidamente. Apesar dos avanços em saneamento e recursos hídricos (água canalizada já atinge 82% da população brasileira), o coordenador do projeto e professor da UFRJ, Marcos Freitas, acredita que o país pode melhorar o aproveitamento dos investimentos direcionados à resolução de problemas referentes à água. Fonte: Ambiente Brasil

 

.Opinião.

Na contramão?

A reserva legal ­– parcela da mata nativa que deve ser preservada dentro das propriedades rurais – não é exclusividade da lei brasileira. É o que defende o artigo da jornalista Virgínia Toledo. As reservas legais, um dos principais mecanismos de preservação do Código Florestal brasileiro, também existem em outros países, com determinações por vezes mais rigorosas que as do Brasil, por não autorizarem brechas a novos desmates. Segundo estudo da professora de direito ambiental da Universidade de São Paulo, Ana Maria de Oliveira, a tendência dessas legislações é aumentar a proteção ambiental. Já no Brasil, as propostas de mudanças do Código Florestal indicam o contrário.

 

.Serviço.

 Pra fazer a diferença

Terminam hoje, dia 27, as inscrições do Workshop Subsídios para o Plano Estadual de Combate a Incêndios Florestais  em Minas Gerais, que acontece no próximo dia 4. O objetivo é identificar dificuldades, desafios e soluções para prevenção e combate a incêndios florestais em 2012. Saiba como se inscrever. E nos dias 4, 5 e 6 de novembro acontece o I Fórum Internacional e o II Fórum Nacional do Voluntariado Transformador. O evento busca sistematizar o papel do voluntariado para a Conferência Rio+20, além de orientar governos, pesquisadores e voluntários para enfrentar desafios ligados aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Programação aqui, inscreva-se.