Banner GeoprocessamentoBanner BiomonitoramentoBanner Biblioteca Virtual


Educação

A educação ambiental e o Projeto Manuelzão

Criança observando exposição de desenhos realizada durante a Expedição pelo Velhas 2009: encontros de um povo com sua bacia (Foto: Marcelo Andrê/acervo Projeto Manuelzão)
Criança observando exposição de desenhos realizada durante a Expedição pelo Velhas 2009: encontros de um povo com sua bacia (Foto: Marcelo Andrê/acervo Projeto Manuelzão)
Em 1997, logo no início das atividades do Projeto Manuelzão, havia um quadro problemático envolvendo a bacia hidrográfica do rio das Velhas em razão de práticas que degradavam as reservas naturais de água, como a disposição inadequada de lixo e esgoto nos cursos d’água. O resultado disso se expressava por meio de afluentes extremamente poluídos, fétidos e sem vida, o que restringia cada vez mais a disponibilidade de água própria para consumo humano e a possibilidade de utilização dos rios da bacia para lazer, além de contribuir para a perda progressiva da qualidade da água do rio das Velhas.

Nesse contexto de degradação, uma das estratégias que se pensou para transformar a realidade foi desenvolver um subprojeto de educação ambiental. Dessa forma, seria possível promover um processo educativo voltado ao estabelecimento de uma relação inovadora entre sociedade e natureza, mais harmônica e sustentável. Essa relação seria preenchida pela noção de pertencimento a uma bacia hidrográfica. Isso auxiliaria no despertar de uma crítica em relação ao modelo vigente de desenvolvimento, que não considera a conexão natural dos ecossistemas de uma bacia, e na instauração de uma postura individual e coletiva de pró-atividade, pois pertencer a uma bacia supõe influenciar tudo o que acontece nela, de alguma forma.

O subprojeto recebeu o nome de Manuelzão Vai à Escola. Ele tem como base a pedagogia escolar voltada ao desenvolvimento de um compromisso das escolas com a solução de problemas concretos da bacia hidrográfica em que se encontram. Seus focos são a saúde, a cidadania e o desenvolvimento sustentável, tendo os cursos d’água como eixo de mobilização e a volta dos peixes aos rios como indicador da qualidade da água e do sucesso do trabalho. Atualmente, as atividades de educação ambiental do Projeto são realizadas junto a escolas dos ensino fundamental e médio e, também, em parceria com as comunidades, organizadas sob a forma de Núcleos Manuelzão.

O Manuelzão entende que a questão ambiental não é disciplinar, e sim um tema transversal, que deve ser trabalhado de modo a contribuir para a mudança da mentalidade civilizatória. Portanto, a educação ambiental surgiu no Projeto como forma de exercício da cidadania, justamente por motivar atitudes direcionadas à resolução de problemas socioambientais e por basear-se em uma concepção ética da sociedade.