Banner Biblioteca VirtualBanner GeoprocessamentoBanner Descubra


FestiVelhas

FestiVelhas Manuelzão 2011 - Arte e Transformação

Data: 04 e 05 de junho

Local: Praça de Serviços do Campus Pampulha da UFMG

O Projeto Manuelzão comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente com a realização do FestiVelhas Manuelzão 2011 – Arte e Transformação.  O objetivo foi aprofundar a compreensão e a discussão sobre relação entre cultura, sociedade e ambiente.

Se temos obtido sucessos na revitalização da Bacia do Rio das Velhas, agora é importante avançarmos na revitalização da mentalidade, repensando o nosso papel no planeta Terra.  Esta é a proposta do FestiVelhas: criar condições que favoreçam esse alvorecer.

Queremos, por meio do movimento cultural, transitar do particular para o universal, compreendendo os determinantes culturais da relação socioambiental e propondo novos paradigmas. Nosso desejo é transcender a Bacia do Rio das Velhas, por meio da reprodução e metamorfose  do pensamento do Projeto Manuelzão.

 

A nascente

Vivemos num sistema planetário integrado e interdependente, onde a nossa sorte depende de soluções ecossistêmicas globais, mas a luta pela sobrevivência da nossa espécie não levou em conta os interesses e direito à vida das demais.

O Manuelzão nasceu da consciência de que era necessário mudar a mentalidade civilizatória em escala global. Nossa estratégia mobilizadora é a “volta do peixe” à bacia hidrográfica do Rio das Velhas. A “volta do peixe” é representativa do pensamento complexo. É a procura de um eixo favorável para romper com a predominância ou até exclusividade das ações políticas em torno de interesses sempre antropocêntricos. Temos foco nas águas da bacia hidrográfica, que refletem todo o seu território e ecossistemas, sejam aquáticos ou terrestres.

 

Arte e transformação

Sem mudança da mentalidade, a volta do peixe ou nadar nos rios não serão vitórias completas. O mundo cultural e artístico traz imaginários e estratégias mais universais. As artes são linguagens sublimes e planetárias apropriadas para internacionalizar nosso ideário. Na linha de pensamento do filósofo Arthur Schopenhauer, as artes aguçam a nossa sensibilidade para perceber a necessidade de transformações, no sentido de transcender nossa condição animal básica formando uma consciência mais desenvolvida na esfera cultural. 

Uma comemoração pela vida e uma reflexão sobre o futuro do planeta Terra: o FestiVelhas  teve o formato de um Teatro Manuelzão. Foi um espetáculo teatral que conduziu o público ao debate, à reflexão e à participação. A proposta incluiu a interação entre atores e público, e a inversão de papeis. Exposições artísticas, apresentações de musicais, danças, teatro, e manifestações de todas as partes da bacia fizeram parte da proposta. Em cada momento, houve uma apresentação provocativa do Teatro Manuelzão em meio às palestras. Foi uma descontinuidade em relação à ideia que se faz da cultura artística, como se de um lado estivesse a arte e do outro a vida; como se a verdadeira arte não fosse um meio de compreender e de exercer a vida.